Shirley Maria – Língua Portuguesa

Teste seus conhecimentos

Exercício 1: (FCC 2006)

Para que se respeite a concordância verbal, será preciso corrigir a frase:

A) Têm havido dúvidas sobre a capacidade do sistema de saúde cubano.
B) Têm sido levantadas dúvidas sobre a capacidade do sistema de saúde cubano.
C) Será que o sistema de saúde cubano tem suscitado dúvidas sobre sua eficácia?
D) Que dúvidas têm propalado os adversários de Cuba sobre seu sistema de saúde?
E) A quantas dúvidas tem dado margem o sistema de saúde de Cuba?

Resolução:

A alternativa que precisa de correção quanto à concordância verbal é a letra A. Corrigindo a frase, ela ficaria assim: Tem havido dúvidas sobre a capacidade do sistema de saúde cubano”.

O verbo ter, neste caso, fica no singular, e não no plural (têm) pois sendo verbo auxiliar do verbo HAVER, ele também adquire a característica de ser impessoal, ou seja, trata-se de uma oração sem sujeito. O verbo ter, não precisa, portanto, concordar com a palavra “dúvidas”, pois esta não é sujeito da oração e sim objeto direto que complementa o verbo haver.

Exercício 2: (FCC 2007)

As normas de concordância verbal estão plenamente respeitadas na frase:

A) Não se imputem aos adolescentes de hoje a exclusiva responsabilidade pelo fato, lastimável, de aspirarem a tão pouco.
B) A presença maciça, em nossas telas, de tantas ficções, não nos devem fazer crer que sejamos capazes de sonhar mais do que as gerações passadas.
C) Se aos jovens de hoje coubesse sonhar no ritmo das ficções projetadas em nossas telas, múltiplos e ágeis devaneios se processariam.
D) Ficaram como versões melhoradas da nossa vida acomodada de hoje o vestígio dos nossos sonhos de ontem.
E) Ao pretender que se mobilize os estudantes para as exigências do mercado de trabalho, o professor de nossas escolas impede-os de sonhar.

Resolução:

Nesta questão, a alternativa correta é a letra C. “Se aos jovens de hoje coubesse sonhar no ritmo das ficções projetadas em nossas telas, múltiplos e ágeis devaneios se processariam.”

Na letra A o verbo “imputar” deveria estar no singular, pois como a oração tem sujeito indeterminado, e utiliza a partícula de indeterminação do sujeito “SE”, então o verbo fica na terceira pessoa, de modo impessoal. Não precisa, como pode parecer, concordar com o termo “adolescentes” pois se trata de um objeto indireto (complemento do próprio verbo imputar). O correto seria: Não se impute aos adolescentes de hoje a exclusiva responsabilidade pelo fato, lastimável, de aspirarem a tão pouco.

Na letra B, o verbo “dever” não está concordando com o seu sujeito “a presença maciça de tantas ficções”. O correto, neste caso, seria: A presença maciça, em nossas telas, de tantas ficções, não nos deve fazer crer que sejamos capazes de sonhar mais do que as gerações passadas.

Na letra D o sujeito da frase está deslocado para o final, que é “o vestígio dos nossos sonhos de ontem”. Neste caso, o verbo e o predicativo não estão concordando com o sujeito, que tem como núcleo a palavra “vestígio”. Na ordem correta, a frase ficaria assim: O vestígio dos nossos sonhos de ontem ficou como versão melhorada da nossa vida acomodada de hoje. E na ordem inversa, como está na questão, ficaria assim: Ficou como versão melhorada da nossa vida acomodada de hoje o vestígio dos nossos sonhos de ontem.

Na letra E a oração está na voz passiva sintética e, portanto, o termo “os estudantes” é sujeito paciente. Sendo assim, o verbo “mobilizar” deveria estar no plural para concordar com o sujeito. Se a frase estivesse na voz passiva analítica, ficaria assim: “Ao pretender que os estudantes sejam mobilizados para as exigências…”. Da forma como está na questão, a frase fica assim: “Ao pretender que se mobilizem os estudantes para as exigências do mercado de trabalho, o professor de nossas escolas impede-os de sonhar.”

Exercício 3: (FCC 2007)

O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma do plural para preencher corretamente a lacuna da frase:

A) Para que não …… (restringir) o sonho de um jovem, as imposições do mercado de trabalho devem ter sua importância relativizada.
B) Seria essencial que nunca …… (faltar) aos adolescentes, mesmo em nossos dias pragmáticos, a liberdade inclusa nos sonhos.
C) Entre as duas hipóteses que …… (examinar), considera o autor que o elemento comum é redução da capacidade de sonhar.
D) Não se …… (delegar) às escolas a missão exclusiva de preparar os jovens para sua inserção no mercado de trabalho.
E) É pena que …… (faltar) aos jovens a referência dos sonhos que seus pais já tenham alimentado em sua época de adolescentes.

Resolução:

O item que deve ser marcado é a letra A. Neste item, o verbo entre parênteses “restringir”, deve ficar no plural para preencher a lacuna, pois deve concordar com o sujeito “as imposições do mercado de trabalho” que está também no plural. A frase fica, portanto, desta forma: “Para que não restrinjam o sonho de um jovem, as imposições do mercado de trabalho devem ter sua importância relativizada”.

Na letra B o verbo deve ficar no singular, pois concordará com o sujeito “a liberdade inclusa nos sonhos” que também está no sujeito. A frase fica assim: “Seria essencial que nunca faltasse aos adolescentes, mesmo em nossos dias pragmáticos, a liberdade inclusa nos sonhos”.

Na letra C, o sujeito é o termo “o autor”, portanto o verbo “examinar” deve ficar na 3ª pessoa e no singular “examinou”, ficando a frase desta maneira: Entre as duas hipóteses que examinou, considera o autor que o elemento comum é a redução da capacidade de sonhar.

Na letra D a oração tem sujeito indeterminado, e o verbo, portanto, fica no singular, de modo impessoal: “Não se delega às escolas a missão exclusiva de preparar os jovens para sua inserção no mercado de trabalho.”

Na letra E, o verbo “faltar” fica no singular “falte” concordando com o sujeito “a referência dos sonhos” que também está no singular: “É pena que falte aos jovens a referência dos sonhos que seus pais já tenham alimentado em sua época de adolescentes.”

Exercício 4: (FCC 2009)

As normas de concordância verbal estão plenamente respeitadas na construção da seguinte frase:

A) Atribuem-se a picos de tensão ou raios ocasionais a causa de muita perda de informações, que se julgavam preservadas numa memória eletrônica.
B) Diferentemente do que ocorre com livros muito antigos, que se vêm revelando muito resistentes, os de hoje ressentem-se do uso constante.
C) Caso deixassem de haver as grandes bibliotecas de hoje, é possível que os homens do futuro não pudessem interpretar plenamente a nossa cultura.
D) Confia-se a um suporte eletrônico incontáveis informações, mas não se podem avaliar com segurança quanto tempo permanecerão disponíveis.
E) Ainda que só venha a restar da nossa época algumas boas bibliotecas, elas serão suficientes para dar notícia do que pensamos e criamos.

Resolução:

A alternativa correta é a letra B.

Na letra A, não há concordância entre o verbo “atribuem-se” e o sujeito “a causa de muita perda de informações”. A frase está na voz passiva sintética, e corresponderia a mesma frase na voz passiva analítica: “A causa de muita perda de informações é atribuída a picos de tensão…”  A forma verbal correta seria, portanto, “atribui-se”. Atribui-se a picos de tensão ou raios ocasionais a causa de muita perda de informações, que se julgavam preservadas numa memória eletrônica”.

Na letra C a oração é sem sujeito e, portanto, a forma verbal “deixassem” deveria estar no singular “deixasse”. Isto acontece devido à presença do verbo HAVER no sentido de existir, que faz do termo “as grandes bibliotecas de hoje” o objeto direto e não o sujeito como se pode pensar. A frase correta é: “Caso deixasse de haver as grandes bibliotecas de hoje, é possível que os homens do futuro não pudessem interpretar plenamente a nossa cultura”.

Na letra D a forma verbal “podem” deveria estar no singular, pois faz parte de uma oração sem sujeito. O correto seria “… mas não se pode avaliar com segurança quanto tempo permanecerão disponíveis”.

Na letra E, por sua vez, a forma verbal “venha” deveria estar no plural, concordando com o sujeito “algumas boas bibliotecas”. Ficaria assim: “Ainda que só venham a restar na nossa época algumas boas bibliotecas, elas serão suficientes para dar notícia do que pensamos e criamos.

Exercício 5: (FEI-SP 1997)

Indique a alternativa em que haja ERRO de concordância:

A) Terminadas as aulas, os alunos viajaram.
B) Esta maçã está meia podre.
C) É meio-dia e meia.
D) Dinheiro, benefícios pessoais, chantagens, nada podia corrompê-lo.
E) Ajudaram no trabalho amigos e parentes.

Resolução:

Nesta questão, o erro de concordância é nominal, e acontece na letra B. O correto seria “Esta maçã está meio podre.”  Neste caso, a palavra MEIO é um advérbio e não um adjetivo e, portanto, não se flexiona para concordar em gênero com as palavras (substantivos) relacionadas a ela.

Exercício 6:

“O estudo e a experiência ___________ davam-lhe a calma com que resolvia os problemas que lhe _____________”.

A) acumulados / apresentava.
B) acumulados / apresentavam.
C) acumulada / apresentavam.
D) acumulado / apresentavam.
E) acumulada / apresentava.

Resolução:

Neste caso, a alternativa que preenche as duas lacunas em branco é a letra B. Na primeira lacuna, o adjetivo ficará no plural e no masculino, pois se refere aos dois núcleos do sujeito “estudo” e “experiência”. Na segunda lacuna, como se trata de uma oração com sujeito indeterminado, a opção correta é preencher com o verbo na terceira pessoa do plural “apresentam”, que indica a indeterminação do sujeito.

Exercício 7:

“Se _________ mais tarefas a executar ____________ mais elementos na equipe de trabalho”.

A) houvessem / deveriam existir.
B) houvesse / deveria existir.
C) houvessem / deveria existir.
D) houvesse / deveriam existir.
E) houvessem / deveriam existirem.

Resolução:

A resposta correta é a letra D. A primeira lacuna é preenchida com a forma verbal “houvesse”, pois o verbo haver no sentido de existir é impessoal, e não necessita ir para o plural, pois “mais tarefas” é o complemento verbal, ou seja o objeto direto. Já na segunda lacuna, a forma verbal a ser preenchida é “deveriam existir”, que concorda com o sujeito “mais elementos”. A frase fica assim: “Se houvesse mais tarefas a executar, deveriam existir mais elementos na equipe de trabalho”.

Exercício 8:

“No dia marcado ___________-se as provas, a que ___________ de _________ apenas dois por cento dos candidatos”.

A) realizou / deixou / comparecer.
B) realizou / deixaram / comparecer.
C) realizou / deixou / comparecerem.
D) realizaram / deixou / comparecerem.
E) realizaram / deixaram / comparecer.

Resolução:

Nesta questão a resposta correta está na letra E. A primeira lacuna é preenchida pela forma verbal “realizaram”, concordando com o sujeito “as provas”. A segunda lacuna é preenchida pelo verbo “deixaram”, que concorda com o sujeito “apenas dois por cento dos candidatos”. E a terceira lacuna é preenchida pela forma verbal no infinitivo “comparecer” pois faz parte de uma locução verbal junto com o verbo “deixaram”, e portanto não precisa ser também flexionado. A frase correta fica assim: “No dia marcado, realizaram-se as provas, a que deixaram de comparecer apenas dois por cento dos candidatos.”

Exercício 9:

“Não _______ ainda sete horas, e já _________ muitas pessoas que ___________ o início do expediente”.

A) seriam / haviam / aguardava.
B) seriam / havia / aguardavam.
C) seria / haviam / aguardava.
D) seria / haviam / aguardavam.
E) seria / havia / aguardavam.

Resolução:

A resposta correta é a letra B. A primeira lacuna é preenchida pela forma verbal “seriam”, pois concorda com o sujeito, que é “sete horas”. A segunda lacuna é preenchida pela forma verbal “havia”, que é impessoal, e por isso não se flexiona, gerando uma oração com sujeito indeterminado. Já a terceira lacuna é preenchida pela forma verbal “aguardavam”, que concorda com o sujeito “muitas pessoas”.

Exercício 10:

“Não ___________ condições para se ____________ os trabalhos; mesmo que as _____________, era tarde”.

A) havia / recomeçarem / houvesse.
B) haviam / recomeçarem / houvessem.
C) haviam / recomeçar / houvesse.
D) haviam / recomeçar / houvessem.
E) havia / recomeçar / houvessem.

Resolução:

A resposta correta é a letra A: havia / recomeçarem / houvesse. As duas formas do verbo haver não são flexionadas, pois este verbo, no sentido de ‘existir’ é impessoal. Já a segunda coluna é preenchida pela forma verbal “recomeçarem”, concordando com o sujeito “os trabalhos” (frase na voz passiva sintética).